quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Ciclos.



Uma vez eu disse pra
Kizia que um amigo nosso, na época em que nos conheceu e começou a namorar uma amiga nossa, estava passando por uma fase; talvez uma espécie de ciclo, em que tudo acontecia, as coisas mudavam e, de uma hora para outra, acabava e daí se iniciava outro ciclo.

Esse amigo era novo no emprego (na época em que nos conhecemos ), conheceu gente nova, e teve muitas experiências diferentes enquanto trabalhava. Era tudo um pouco incomum, inesperado e diferente. Pronto. Até que, pouco tempo depois, ele foi mandado embora do emprego ... seu ciclo acabou.

Várias pessoas passam por nossas vidas dessa maneira: elas chegam do nada, e da mesma forma partem. O motivo pode ser viajem, mudança, insatisfação, bônus, falecimento, imprevisto, necessidade ou até mesmo uma perda de emprego.

Foi disso que eu disse a Kizia que eu imediatamente me lembre hoje de madrugada ... é que eu reconheci que, mas uma fez, o ciclo de alguém terminou. Eu fui uma das pessoas que fez parte do ciclo dessa pessoa; é ... eu estava lá, era como uma espécie de atriz principal (tipo mocinha da história), ou talvez, no mínimo, uma atriz coadjuvante.

Ciclos são assim. Podem começar de maneira imprevisível ... mas também é de maneira imprevisível que terminam. Tudo tem seu tempo, sua duração, seu momento ... é assim que eles funcionam. Se mudança é a lei da vida, então os ciclos são verdadeiras medidas provisórias: não são discutidos no congresso, é tudo muito rápido e é muito rápido também que perde efeito, e não depende da vontade geral; entretanto, a diferença mais marcante entre os ciclos e as medidas provisórias é que, ao contrário destas, aqueles podem disciplinar sobre qualquer matéria. Isto é, não a vedação quanto ao campo da vida da pessoa em que poderá haver ciclo: pode ser no intimo, amoroso, social, profissional ou religioso. Para os ciclos também não há nada polêmico ou intocável demais a ponto de dele não poder fazer parte.

A gente pode se dar conta de que foi só um ciclo, quando ele chaga ou fim. Dessa vez, confesso que foi um pouco mais doloroso do que eu poderia prever. Se é que daria mesmo pra prever, afinal, foi só um ciclo.

2 comentários:

Mateus Luciano disse...

a sua explicação foi perfeita ,mas não consigo entender direito ciclos
como o menstrual que as mulheres tem....bom bom dia !

Tiago disse...

Adorei todo o texto
E estes são os Ciclos da vida
Que passam, que mudam e que estão aí para serem vividos!
Bjo pra vc
Belo 2010