quarta-feira, 8 de abril de 2009

Psicologia de um Vencido

Por Augusto dos Anjos

Eu, filho do carbono e do amoníaco,
Monstro de escuridão e rutilância,
Sofro, desde a epigênesis da infância,
A influência má dos signos do zodíaco.

Profundissimamente hipocondríaco,
Este ambiente me causa repugnância…
Sobe-me à boca uma ânsia análoga à ânsia
Que se escapa da boca de um cardíaco.

Já o verme - este operário das ruínas -
Que o sangue podre das carnificinas
Come, e à vida em geral declara guerra,
Anda a espreitar meus olhos para roê-los,
E há de deixar-me apenas os cabelos,
Na frialdade inorgânica da terra!

5 comentários:

Drê disse...

Nossa.
Fiquei parada com o texto que vc escreveu.
Por vários motivos:
1º porque o texto é lindo
2º porque eu fiquei impressionada com o vocabulário rico que você tem que eu admiriro muito isso nas pessoas. Como se tivesse um dicipnário dentro da mente.
É inesplicável a sensação gostosa que eu tive ao ler este texto.
:)
Apesar de não ser aquele tipo de texto para te fazer rir, me fez feliz ler palavras difíceis e saber que eu sei decifrar e que ainda existem pessoas que escrevem assim.
Ah!
Como eu havia falado, é inesplicável.

PS: Não sou "viajante" não. apenas falo de mais.

Cris (a senhorita) disse...

Bacana o texto! Realmente tenho que dar os meus parabéns escreveu muito bem!^^
Passando mesmo para olhar e comentar, passa no meu depois espero que goste!XD

x Barbara :~ disse...

Pois é!
Que bom que gostou!
Seja sempre bom-vinda aqui ok?
Um beijo ;*

disse...

"Come, e à vida em geral declara guerra"
E nos deixamos vencer pq queremos....
Não ser mais um vencido nesse mundo de Deus é o objetivo!

Mateus Luciano disse...

ah! o maravilhoso Augusto Carvalho Rodrigues dos Anjos ,sempre presente ..ótima escolha